terça-feira, 19 de abril de 2016

Sobre essa vida Virtual!!!!!!!


Há uns meses me afastei do facebook, entrava uma vez por dia para responder a notificações, estava de saco-cheio, precisava de um momento comigo mesma. Por esse motivo e também por falta de memória no celular sai de todos os grupos do Wattsap, sem peso na consciência. Naquela época devorei livros, séries, cuidei mais de mim, da casa, dos meus amores. Estava revigorada, com o sono em dia, sem nenhum estresse.
Voltei um dia para ver as novidades do facebook e eis que o vício, o veneno se instalou novamente nas veias. Quanto mais tempo eu passava on-line, mais estressada eu ficava. Menos tempo eu tinha para a leitura, séries, casa, escritos, meus amores.
Face é uma faca de dois gumes: Você pode passar horas de lazer nesta plataforma, vendo vídeos divertidos, mensagens de esperança, fotos dos amigos. Infelizmente você também é exposto ao veneno de intrigas políticas, raiva de conservadores e para conservadores, religiosos que acham que sua palavra é verdadeira e que quem não a seguir queimaram no inferno. Claro não podemos deixar de lado as indiretas (quem nunca a fez), que no facebook tem o mesmo efeito de uma bomba atômica. Você mira em um e acerta 70% dos seus amigos e seguidores.
Por falar em amigos, percebi que estou cheia de amigos que no facebook mostram ser determinada pessoa e no mundo real são outras completamente diferentes. Muitos aqui comem mortadela e chega no facebook postam fotos de comidas exóticas. Eu descobri uma pessoa inclusive que roubou uma foto de um blog de gastronomia e postou como sendo dela própria. Eu ri de pena da pessoa!
Pessoas não se envergonhem de quem são, do que fazem (desde que leve uma vida honesta), não se envergonhem dos seus. O mundo já está tão ruim, tentar ser uma pessoa que não é, talvez piore as coisas.
Às vezes eu divido com vocês fragmentos da minha vida, principalmente diálogos com meu filho, pois são essas pequenas coisas que eu quero deixar registradas. Como o beijo gostoso que meu afilhadinho me deu, as risadas contagiantes do meu sobrinho, a meiguice da minha sobrinha, a gelada que eu tomo com a Sandra e o tio Nonô e os momentos gostosos que passei com meu afilhadão, filho e marido, lá no litoral. Isso é o que realmente importa. O resto, as coisas ruins, eu prefiro enterrar e esquecer. 

Follow by Email