sábado, 16 de maio de 2015

A Mulher Solitária - por Arthur Gimenes


A Mulher Solitária
Por Arthur Gimenes
Certo dia uma mulher comprou uma casa que era muito grande e velha. O terreno onde a casa fora construída era bem afastado da cidade e misteriosamente a noite sempre chovia.
Todos os dias, desde a compra da casa, a mulher recebia uma estranha ligação. Assim que ela atendia ao telefone ninguém dizia nada e apenas um barulho de respiração era percebido do outro lado da linha.
Quando anoitecia a mulher ia deitar-se e enquanto o sono não vinha ela observava o corredor imenso que tinha em frente da porta do quarto. Assustada ela fechava os olhos com a impressão de que algo estava ali. Assim que pegava no sono, os pesadelos começavam. Ela começou a ficar cansada e nervosa pelas noites mal dormidas.
Os dias se passaram e a solidão começou a incomodar, então ela decidiu adotar um cão. O animal já adulto passou a dormir do lado da cama dela, sobre um tapete que tomava quase todo o quarto. Quando os pesadelos a acordavam ela colocava a mão na cabeça do animal e esse cheirava e lambia seus dedos.
Certa noite ela acordou de um terrível pesadelo e colocou a mão no cachorro. Ele não estava lá. Estranhando a ausência do peludo, ela caminhou pela casa chamando por ele, resolveu verificar o banheiro e para sua surpresa e seu maior temor o local estava todo pintado com sangue. Na banheira e no cesto de roupas estavam partes do cachorro.
Gritando desesperada ela pegou o telefone celular para chamar a polícia e não havia sinal, correu para o telefone fixo e a linha estava muda. Tentou sair da casa, mas as fechaduras da porta haviam sido removidas, e todas as janelas estavam lacradas.
Um barulho de passos começou a ser ouvido na parte de cima da casa, depois nas escadas e na cozinha. Começou a esmurrar a porta e gritar por ajuda, mas não tinha ninguém lá fora para ajudá-la.
De repente uma sombra apareceu na sala e apenas os olhos vermelhos horripilantes puderam ser vistos. A mulher gritou com toda sua força pela ultima vez.
Dias depois a família da mulher estranhou o sumiço dela e contatou a polícia do local. Assim que os irmãos dela chegaram à cidade foram com os investigadores até a casa. Não havia nada de estranho, mas quando eles entraram no local encontraram a mulher morta no chão e seu semblante era de grande pavor.

Sua morte nunca foi resolvida!

Arthur é um garoto lindo de 11 anos de idade. Ele adora brincar, jogar games e ver o casal nerd no youtube. Certo dia ele me disse que estava adorando as aulas de redação e então eu fui ler o que ele andava escrevendo. Me surpreendi com essa lenda reinventada.
Arthur é assim, quando você acha que ele não tem o que inventar ele aparece com mais uma novidade.

Follow by Email