terça-feira, 6 de outubro de 2015

Sobre Noturno de Chuck Hogan e Guillermo Del Toro



NOTURNO
·         Coleção: TRILOGIA DA ESCURIDAO, V.1
·         Autor: HOGAN, CHUCK
·         Autor: DEL TORO, GUILLERMO
·         Tradutor: REGO, SERGIO MORAES
·         Tradutor: REIS, PAULO
·         Idioma: PORTUGUÊS
·         Editora: ROCCO
·         Assunto: Literatura Internacional - Terror e Sobrenatural
·         Edição: 1
·         Ano: 2009

SINOPSE
Um Boeing 747 vindo de Berlim chega ao aeroporto JFK, em Nova York, e, subitamente, para na pista com todas as cortinas abaixadas, luzes apagadas e o sistema de comunicação em pane. Uma equipe de emergência cerca o avião e observa, incrédula, aquele caixão branco gigante em contraste com o céu noturno. O que se vê lá dentro é uma cabine similar a um túmulo onde todos parecem mortos. O alarme se transforma em terror quando se descobre que este misterioso acontecimento é apenas o primeiro de uma invasão que se estenderá por todo o planeta, uma onda sinistra que ressuscita os medos mais ancestrais da raça humana e dá início a uma sangrenta batalha entre homens e vampiros.

Não sou mais adepta a saga ou trilogias, ando com o meu tempo tão escasso que prefiro livros sem continuações, porém quando vi o primeiro episódio da série The Strain baseada nesse livro parei com tudo e comprei dois volumes, um em e-book e poucos dias depois em livro físico.
Comecei a ler em Março de 2015 e devorei o livro em quinze dias, mesmo com problemas de visão, mesmo com o tempo curto dei meu jeito.
O livro é muito bem detalhado, provavelmente com passagens únicas que não deve ter na série. A lenda que começa o livro é bem horripilante.  Sardu era uma criança bem alta, maior que qualquer uma em sua aldeia na Polônia, causava pavor em seus vizinhos e... (não darei spolier)
O protagonista da história Eph, luta contra o vício da bebida, contra o vício pelo trabalho no CCD, luta pela custódia do filho Zack e tudo isso no meio da loucura causada por um vírus que provoca a morte e depois trás as vítimas de volta a vida em forma de “vampiros”.
Abraham Setrakian é um velho relojoeiro que sobreviveu aos campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. O único que sabe o que realmente aconteceu com o Boeing 747, só que, não é levado a sério pelas autoridades, sendo difícil aproximar-se de Eph.
No decorrer do livro nossos heróis se encontram e com outras pessoas começam a combater a praga do vampirismo.
O conceito vampirismo nesse livro foi muito bem usado, é totalmente diferente de outras histórias uma mistura de vampiro, zumbi, alienígena... Sei lá, diferente é bom.
Del Toro e Hogan souberam manter o suspense da história até o fim do livro que me deixou com gosto de quero mais.


terça-feira, 22 de setembro de 2015

Livro Presa - Michael Crichton

Livro - Presa
Presa conta a história de uma praga mecânica e os esforços desesperados de um punhado de cientistas para exterminá-la. Baseado nos mais recentes fatos científicos, Michael Crichton nos transporta aos domínios emergentes da nanotecnologia e da inteligência artificial em uma história emocionante. Presa é um livro para ser lido de um só fôlego.
Informações Técnicas
Título
Livro - Presa
ISBN
8532515541
Páginas
472
Edição
0
Tipo de capa
Brochura
Editora
Rocco Editora
Ano
2003
Assunto
Livros Em Inglês
Idioma
Português
Código de Barras
9788532515544

Nunca tinha lido nada do autor até o dia que em uma comunidade da série Lost alguém comentou sobre o livro. Havia um fator comum (ou pensava ele na época se tratar da mesma coisa) que ocorria na série e no livro. Sou uma pessoa viciada em spoliers, coincidência e teoria da conspiração, não resisti à curiosidade e comprei o livro devorando-o em dois dias (para quem tinha um bebê na época, a leitura foi muito rápida), no decorrer da série descobri que o rapaz estava errado sobre a suposição do fator comum, mas agradeci-o mesmo assim. O livro entrou na lista dos meus preferidos.
Sobre a trama eu na época tinha ouvido muito pouco sobre nanotecnologia, ler o livro me fez pensar em muitas coisas e pesquisei mais sobre o assunto. Hoje a nano está em quase tudo o que fazemos.
É um livro que te prende do começo ao fim, você se apega aos personagens com muita facilidade e sofre com eles.
Eu li o livro há mais de dez anos e existem passagens bobas que se fixaram na minha mente, como uma personagem indo comprar fraldas para o bebê, sem falar no coelhinho lindo sendo “devorado”.

sábado, 18 de julho de 2015

É Uma pena Não Viver - Gonçalo Junior - Editora Planeta



Ficha técnica
Data de publicação:17/06/2015
496 páginas
ISBN: 978-85-422-0547-3
Código: 10129410
Formato: 16 x 23 cm.
Apresentação: Brochura com orelhas
Coleção: Outros
Editora Planeta

Sinopse
Nessa biografia tocante e reveladora, Gonçalo Junior leva o leitor para o mundo singular desse humanista e revela segredos e detalhes de uma existência marcada pela pregação de ideias estimulantes que pretendiam levar as pessoas à trans­formação de si mesmas e das coisas à sua volta. Joga luz tam­bém em aspectos quase desconhecidos da trajetória de Rubem, como a perseguição que sofreu dentro da Igreja Presbiteriana do Brasil, que o denunciou nos primeiros dias que seguiram ao golpe militar de 1964 como um perigoso subversivo e comuni­sta. O temor de ser preso o levou ao exílio e a teorizar em uma obra pioneira que trazia os fundamentos da Teologia da Liber­tação.
Gonçalo Junior narra ainda a história de vida, os dramas pessoais, as amizades e relações familiares, a descoberta de duas doenças devastadoras que minaram irremediavelmente a saúde e a paixão de Rubem Alves pelas coisas simples da vida, como montar quebra-cabeças, brincar de balanço e, principalmente, dar ouvido às crianças, com sua sabedoria expressada em ques­tionamentos e observações. Ao final, certamente o leitor estará emocionado com a existência de um homem tão singular, cuja vida supera o rótulo do extraordinário.

sábado, 16 de maio de 2015

A Mulher Solitária - por Arthur Gimenes


A Mulher Solitária
Por Arthur Gimenes
Certo dia uma mulher comprou uma casa que era muito grande e velha. O terreno onde a casa fora construída era bem afastado da cidade e misteriosamente a noite sempre chovia.
Todos os dias, desde a compra da casa, a mulher recebia uma estranha ligação. Assim que ela atendia ao telefone ninguém dizia nada e apenas um barulho de respiração era percebido do outro lado da linha.
Quando anoitecia a mulher ia deitar-se e enquanto o sono não vinha ela observava o corredor imenso que tinha em frente da porta do quarto. Assustada ela fechava os olhos com a impressão de que algo estava ali. Assim que pegava no sono, os pesadelos começavam. Ela começou a ficar cansada e nervosa pelas noites mal dormidas.
Os dias se passaram e a solidão começou a incomodar, então ela decidiu adotar um cão. O animal já adulto passou a dormir do lado da cama dela, sobre um tapete que tomava quase todo o quarto. Quando os pesadelos a acordavam ela colocava a mão na cabeça do animal e esse cheirava e lambia seus dedos.
Certa noite ela acordou de um terrível pesadelo e colocou a mão no cachorro. Ele não estava lá. Estranhando a ausência do peludo, ela caminhou pela casa chamando por ele, resolveu verificar o banheiro e para sua surpresa e seu maior temor o local estava todo pintado com sangue. Na banheira e no cesto de roupas estavam partes do cachorro.
Gritando desesperada ela pegou o telefone celular para chamar a polícia e não havia sinal, correu para o telefone fixo e a linha estava muda. Tentou sair da casa, mas as fechaduras da porta haviam sido removidas, e todas as janelas estavam lacradas.
Um barulho de passos começou a ser ouvido na parte de cima da casa, depois nas escadas e na cozinha. Começou a esmurrar a porta e gritar por ajuda, mas não tinha ninguém lá fora para ajudá-la.
De repente uma sombra apareceu na sala e apenas os olhos vermelhos horripilantes puderam ser vistos. A mulher gritou com toda sua força pela ultima vez.
Dias depois a família da mulher estranhou o sumiço dela e contatou a polícia do local. Assim que os irmãos dela chegaram à cidade foram com os investigadores até a casa. Não havia nada de estranho, mas quando eles entraram no local encontraram a mulher morta no chão e seu semblante era de grande pavor.

Sua morte nunca foi resolvida!

Arthur é um garoto lindo de 11 anos de idade. Ele adora brincar, jogar games e ver o casal nerd no youtube. Certo dia ele me disse que estava adorando as aulas de redação e então eu fui ler o que ele andava escrevendo. Me surpreendi com essa lenda reinventada.
Arthur é assim, quando você acha que ele não tem o que inventar ele aparece com mais uma novidade.

terça-feira, 10 de março de 2015

FALANDO DE POLITICA



Como assim falando de política?
Nessa altura do campeonato os meus seguidores já sabem que eu sou a pessoa mais alienada do planeta Terra (e de Vênus também), quando o assunto é política. Não entendo nada e nem me esforço para entender. Sempre tive aversão ao assunto.
Agora a situação mudou e teve um pouco da minha atenção. Meu texto é baseado em fatos na sua maioria recentes.
Era uma vez um país chamado Brasil. Na última década esse país cheio de maravilhas naturais, com um povo alegre e hospitaleiro começou uma decida até o fim do poço. O povo desesperado começou a procurar o malvado que empurrou o país para dentro desse poço, uns culpavam o Governo e seus aliados, outros a oposição. Eu culpo ambos e o povo!
“Debby, não se meta a falar sobre o que você não sabe!”
Tudo bem! Eu já admiti que sou alienada, não se preocupem com o que eu disser nessas linhas, são só devaneios de uma louca que acredita em assombração, ETs, duendes, fadas e magia.
Há pouco mais de um ano comecei a me interessar pelo que estava acontecendo no país chamado Brasil, afinal eu moro nele, quero que meu filho case, procrie e crie meus netos nesse país.
Agora como entender um assunto que eu continuo detestando?
Comecei então a encarar o Brasil como uma empresa, cada classe social eu imaginei como departamentos e através de conversas com amigos de outros “departamentos” comecei analisar as mudanças na minha vida e de pessoas que conheço.
E essa história apesar de ter começado em 22 de Abril de 1500, será contado apenas e muito resumidamente com um certo impeachment (pera aí, eu me lembro de que o cara renunciou antes dos caras pintadas irem para a rua, então Impeachment, por quê?).
Então, o bonitão educado, moço novo, que arrancava suspiros das jovens da Terceira Idade, se borrou todo e cedeu a pressão. No lugar do bonitão, seu vice, nem tão belo, nem tão moço, mas igualmente educado assumia o então Titanic brasileiro.
Para isso o novo presidente, ou capitão do Navio, contou com a ajuda do vovô Guimarães e do titio Cardoso, ambos empurr..., ops, ajudaram muito a organizar a casa aquela época. Ajudaram tanto que titio assumiu a presidência nas eleições seguintes, começando a faxina nos primeiros quatro anos e organizando tudo nos outros quatro anos. Lembro bem desses anos, pois o Brasil ia bem, assim como minha vida.
Então um belo dia durante as eleições de 2002 o povo, sempre o povo, vai até as urnas e... Não quero usar palavras de baixo calão aqui.
O “pai” Lula assume o poder, o trono, o nosso lindo Brasil no dia 01 de Janeiro de 2003. É tudo lindo, maravilhoso, fácil quando assumimos um posto que nosso antecessor deixe organizado, né?
Pois foi um mandato lindo, com várias coisas reinventadas, renomeadas e muitas bolsas distribuídas. E todos amavam o pai Lula. Ele foi reeleito, seu segundo mandato não foi tão perfeito assim, as coisas, já não estavam tão bem organizadas e mais quatro anos se passaram ele feliz da vida passa o cajado do poder para sua colega de partido e protegida Dilma.
Foi aqui que a merda toda foi parar no ventilador, foram muitos escândalos desde mensalão, escândalo da Petrobrás (também o que esperar de um povo que se alia ao Maluf?). Ah! Lembram-se do bonitão que não aguentou a pressão? Ele está numa tal lista do lava jato.
Foram quatro anos bem complicados (se levarmos em conta tudo, foram dose anos), novas campanhas, novas esperanças, um acidente de avião, algumas mortes. Uma em particular leva a esperança de alguns brasileiros. Jovem, educado, bonito, carismático e disposto a transformar o Brasil, foi um bom governador, quem sabe seria um bom presidente. Nunca saberemos se o acidente foi causado ou não, só sabemos que um bom candidato se foi para sempre.
Poderíamos ter mudado essa história, poderíamos ter colocado qualquer um no trono, no poder, no leme do Brasil. Porém um pouco mais da metade da população quis que a nossa presidant..., ops, presidenta continuasse no poder.
Lá está ela, há 70 dias no seu segundo mandato, tirando isso e aquilo do trabalhador, aumentando aquilo e isso para poder tapar o rombo da Petrobrás e todos os outros rombos que ela deixou.
Arrependidos muitos eleitores sairão às ruas no dia 15/03/2015, unir-se aos eleitores que não votaram nesse chapa. Tentarão o impeachment da presidente. Se conseguirem tornarão essa data histórica, pois teremos novas eleições.
Sim. Pois quando um governante é deposto do seu cargo em até 120 dias após assumir seu posto. Novas eleições são feitas.
Só nos resta agora é esperar. Quem vai para as ruas?





domingo, 8 de março de 2015

08 de Março - Dia Internacional da Mulher


Para nós que somos guerreiras, que enfrentamos o mundo por quem amamos; que sofremos ao dar a vida e quando perdemos vidas. Desejo a vocês um feliz dia da mulher!


Follow by Email