sexta-feira, 29 de março de 2013

RESENHA: Viagem ao Reino das Sombras



Sinopse - Viagem ao Reino das Sombras - Luiz Galdino
A profecia do oráculo de Delfos: a bela Psique não se casará com um nobre. Vestida com seus trajes núpcias, Psique deverá ficar sozinha nas montanhas à espera de seu esposo, uma monstruosa serpente alada. Serão cumpridas as profecias? Que caminho Psique terá que percorrer para encontrar-se com Eros, o deus do amor? 
Edição: 14
Editora: FTD
ISBN: 8532239064
Ano: 1999
Páginas: 87
Escrito de uma maneira simples, essa história conta as aventuras da princesa Psique que por ser muito bela ganhou a fúria de Afrodite e o amor de Eros.
A deusa do amor pede ao seu filho Eros que lance uma flecha em Psique para que ela se apaixone por uma criatura horrenda, esse seria seu castigo por ser mais bela que a própria deusa invejosa.
O destino foi cruel com Eros e ele próprio se apaixona por Psique não conseguindo acertar a flecha na bela princesa, mas o destino da menina estava selado, nenhum homem se apaixonava por ela e seus pais intrigados com a falta de pretendentes consultaram os oráculos. Esses por sua vez mostram aos pais da princesa que a mesma terá que ser deixada numa montanha para encontrar com seu destino uma criatura monstruosa.
Conformada com a morte certa a princesa segue para a montanha sendo acompanhada por seus parentes e amigos desconsolados, mas após deixá-los ela adormece e acorda nos jardins de um palácio. Ali ela conhece o seu destino, vive um amor pleno e se torna a pessoa mais feliz da terra. Só que ela nunca poderá saber quem é o marido, durante muitas noites ela se encontra com o esposo sem nunca olhar seu rosto.
Enciumadas com tanta felicidade as irmãs mais velhas começam a intrigar Psique com seu esposo, colocando caraminholas na cabeça da caçula e semeando duvidas em seu coração. Tanto fizeram que Psique desobedeceu à única regra que o marido lhe impunha nunca olhar seu rosto. Decepcionada com a esposa, Eros a abandona magoado e vai procurar sua mãe.
Psique vaga pelo mundo desiludida a procura do marido. Vendo que seu amor nunca a perdoaria, ela vai atrás da deusa Afrodite a fim de reparar seus erros e reconquistar seu amor, mas em vez de ajuda ela encontra castigos e punições em forma de tarefas impossíveis que tem que enfrentar para assim conseguir seu amor de volta e a paz.
Uma coleção muito divertida e de leitura fácil, bom para as crianças aprenderem sobre mitologia e o sentido de muitos ditados que usamos até hoje.
Super recomendo!

quinta-feira, 28 de março de 2013

Resenha: O Menino que Queria ser Celular



O menino que queria ser celular.
Marcelo Pires e Roberto Lautert
Sinopse
Por que aquele menino queria ser um telefone celular? Será que é porque o pai dele falava mais ao celular do que com ele? Será que é porque a mãe dele conversava mais com as amigas ao celular do que com ele? Será que é por causa de tudo isso? Pois é. Quando um menino de apenas sete anos fica achando que é melhor se transformar num aparelhinho de plástico, baterias e metal do que ser um menino de carne e osso é porque alguma coisa não vai bem na casa dele.
Edição: 1
Editora: Melhoramentos
ISBN: 8589785122
Ano: 2010
Páginas: 64
Em 2010 fiz minha primeira visita a Bienal do Livro de São Paulo, fui como autora da editora Andross e conheci de perto o fabuloso mundo dos livros.  Numa visita pelos estandes da Bienal, entrei num sebo a procura de livros infantis para meu filho e eis que encontrei esse livro.
Após meu pequeno ler o livro, resolvi pegá-lo e entender o motivo do fascínio que o mesmo teve na criança. Além de ser divertida a história é bem verossímil (conheço várias crianças que pensam igual ao personagem do livro) o design do livro é fabuloso, não é escrito como a maioria, cada página tem um próprio estilo para mostrar a história e fazer com que a criança imagine a situação do menino.
Depois de ler esse livro comecei a me questionar o quanto de atenção estou dando ao Arthur, se é possível sobreviver ao mundo tecnológico sem ficar dependente desses aparelhos que afastam a família dentro de casa mesmo.
Vale a leitura para as crianças e vale a leitura para os pais ou responsáveis que devem dar mais atenção a esses pequenos.

Resenha Sangue Veloz


Sinopse - Sangue Veloz - Marcia Kupstas
Sangue veloz é um texto bem-humorado, que trata de dois irmãos muito especiais. Diferentes até nos nomes, Zeno e Gelásio eram rivais desde os tempos da chupeta... E carregaram sua rivalidade pela vida afora, disputando o primeiro lugar na corrida, na amizade e até no amor de uma colega de escola! 
Edição: 1
Editora: FTD
ISBN: 8532248780
Ano: 2002
Páginas: 56
Gostei da proposta feita pela coleção Deu no Jornal. Criar uma história fictícia a partir de uma noticia do jornal, convidaram alguns autores para o desafio e Márcia buscou numa notícia sobre os irmãos Schumacher (ambos são corredores da Fórmula 1) criar uma história entre dois irmãos, Zeno e Gelásio que disputavam tudo desde a época de andadores. Na maior parte do tempo eram amigos e dividiam tudo, mas quando se tratava de provar quem era mais veloz que o outro a situação esquentava. Tudo piorou quando uma menina chamada Dinorah começou a estudar no mesmo colégio que eles e ambos começaram a gostar dela. Resolveram então fazer a grande disputa de velocidade na ladeira atrás da escola, com suas bikes turbinadas e sem freio. O grande prêmio um beijo de Dinorah. Só esqueceram-se de verificar ao certo se ela gostava deles.
Eu achei o livro legal, a história bem bolada, mas nada que surpreenda uma criança que já saiba ler sozinha. Parece mais história para crianças do jardim que ainda precisam dos pais para contar-lhes histórias.

terça-feira, 26 de março de 2013

DIV: Lançamento Abril 2013 - Editora Estronho


A editora Estronho convida a todos a conhecerem suas mais novas antologias, Quando o Saci encontra os mestres do terror e outras criaturas do folclore e VII Demônios - Luxúria – Asmodeusambas serão lançadas em São Paulo e Porto Alegre nos dois primeiros finais de semana do mês de abril. Abaixo segue informações sobre as antologias e os lançamentos:

Quando o Saci encontra os mestres do terror e outras criaturas do folclore será lançado na Bagunça Literária em São Paulo, SP, e na 2ª Odisseia de Literatura Fantástica em Porto Alegre, RS, junto com o livro VII Demônios - Luxúria – Asmodeus (que já está na pré-venda).



Sinopse
Adoramos o folclore nacional e sabemos que não há necessidade de mudança em suas lendas para que se tornem interessantes. São por si só, uma excelente literatura para todas as idades. Mas fica a pergunta de quem gosta também de literatura fantástica, mais precisamente terror e suspense: Como seriam nossas lendas, se tivessem sido escritas pelos mestres do terror?

Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft, Mary Shelley, Bram Stoker, H. G. Wells, Robert Louis Stevenson, E. T. A. Hoffmann, Guy de Maupassant, Ambrose Bierce, Stephen King e tantos outros que nos inspiram.

A antologia Quando o Saci encontra os mestres do terror e outras criaturas do folclore quer brincar um pouco com essa mistura de estilos e deixar nossas lendas um pouco mais assustadoras e/ou misteriosas. Saci, Boto, Mula sem cabeça, Curupira, Mãe d´água, Boitatá, Mapinguari, Negrinho do Pastoreio, Vitória Régia e outras, com uma roupagem nova e ousada.

Essa é uma homenagem de vários autores às lendas, muitas vezes esquecidas pelo público juvenil e adulto.



Em 1589, o demonologista e teólogo Peter Binsfeld, fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, que supostamente seria o responsável por invocar tais pecados. O padre, que esteve envolvido nas caças às bruxas, autor de “A Confissão de Warlocks e Bruxas”, afirmou ainda que outros demônios poderiam invocar o pecado, como Lilith por exemplo.
Na Série VII Demônios, o desafio dos autores foi o de criar contos envolvendo cada um dos sete pecados, com um toque especial, preferencialmente voltado à literatura fantástica.
A série foi divida em 7 (sete) volumes, sendo um para cada demônio/pecado.
As cores das capas representam cada pecado. Existem algumas divergências quanto ao uso de cada cor, por parte dos pesquisadores e místicos. No entanto, escolhemos para a série, a combinação de cores que tem maior número de "defensores". 
O interessante também é que os livros da coleção VII Demônios são feitos em papel reciclado, inclusive a capa!, o que deixa com um ar envelhecido, incrível! E a leitura fica mais gostosa.

Quem curte histórias mais picantes e terríveis não pode deixar de ler VII Demônios - Luxúria - Asmodeus, da Editora Estronho.

Luxúria - Asmodeus é o terceiro volume. Os primeiros são: Leviathan - Inveja e Belzebu - Gula.

Mais informações sobre cada obra você pode encontrar no site da Editora Estronho e pode adquiri-las na Livraria Estronho com desconto, marcadores e frete grátis.

Aproveite a pré-venda de Luxúria, com desconto e frete grátis.
Serviço

Em São Paulo - SP - Na Bagunça Literária
Dia: 06 de Abril
Horário: das 18 às 22H
Local: Pier 1327
Rua Joaquim Távora, 1327
Vila Mariana - São Paulo - SP

Em Porto Alegre - RS - Na 2ª Odisseia de Literatura Fantástica
Dias 12 e 13 de Abril de 2013 em Porto Alegre – RS
Memorial do Rio Grande do Sul
Rua Sete de Setembro, 1020 – Praça da Alfândega – Centro Histórico
Porto Alegre – RS – CEP: 90010-191
Informações: 51-3224.7210 – memorial@sedac.rs.gov.br



sexta-feira, 8 de março de 2013

RESENHA: A Garota Da Capa Vermelha


Sinopse - A Garota Da Capa Vermelha

O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne mutilada, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz. Quando Valerie descobre que sua irmã foi assassinada pela lendária criatura, ela acaba mergulhando de forma irreversível em um grande mistério que vem amaldiçoando sua aldeia por gerações. A revelação vem com Father Solomon: o Lobo habita entre eles — o que torna qualquer pessoa do vilarejo suspeita. Estaria Peter, sua paixão secreta desde a infância, envolvido nos ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem que assola as redondezas? Ou, talvez, alguém mais próximo? Enquanto todos estão à caça da besta, Valerie recorre à Avó em busca de ajuda; ela dá à neta uma capa vermelha feita à mão e a orienta através da rede de mentiras, intrigas e decepções que vem controlando o vilarejo por muito tempo. Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada? A Garota da Capa Vermelha é uma nova e arrepiante versão do clássico conto. Nela, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.

Edição: 1
Editora: Ed. iD
ISBN: 8516070050
Ano: 2011
Páginas: 350
Tradutor: Lígia Arata Guimarães Barros, Paulo Afonso

Na realidade uma mashup que mistura o conto de fadas Chapeuzinho Vermelho e um clássico do terror os lobisomens. Alguém consegue imaginar o motivo de um lobo querer uma jovem moça ao ponto de destruir uma aldeia? Seria amor ou vingança?
Valerie perde a irmã Lucy e é acusada de bruxaria sendo presa. Henry seu noivo e Peter seu grande amor de infância aliam-se para salvar a jovem, fazendo o possível e impossível para provar sua inocência e defender a menina do lobo. Os aldeões acreditam que assim que o lobo matá-la estarão a salvo.
Depois de conseguir fugir e estar a salvo, a garota procura sua avó que mora numa cabana na floresta.
Durante a caminha ela encontra Peter e suspeita que seu verdadeiro amor é na realidade o lobo, assustada ela esfaqueia o jovem e corre ao encontro da avó. De um modo surpreendente ela descobre que a verdade ainda não foi ao todo revelada e sua família está unida ao lobo para sempre.
Foi um final triste se levarmos em consideração que quando um livro acaba (principalmente versões de contos de fadas) esperamos aquele e foram felizes para sempre.
Eu recomendo, mas não esperem muito do livro.

RESENHA: Orgulho e Preconceito


Sinopse - Orgulho e Preconceito - Jane Austen

Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.

Edição: 1
Editora: Abril
ISBN: 9788579710148
Ano: 2010
Páginas: 464
Tradutor: Lúcio Cardoso 

Esse livro é um clássico maravilhoso, sua história retrata como era o modo de vidas das famílias da Inglaterra, como os casamentos eram arrumados e de certa forma os personagens do romance são no mínimo curiosos.
Escrito no século XVIII, pode parecer cansativo pela quantidade de diálogos e pela descrição exagerada de alguns cenários, porém nos faz viajar pelo mundo de sonho dos protagonistas.
O jeito orgulhoso de Elizabeth e conquista aos poucos o preconceituoso Mr. Darcy o que deixa a leitura mais rica e apaixonante. Creio que um dos melhores romances que já li.

FELIZ DIA DAS MULHERES!

Minha amiga Amanda postou isso hoje no face e reflete tudo o que penso.


Follow by Email