sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Resenha: Peças Fragilizadas – Vera Carvalho Assumpção.



Edição: 1
Editora: KBR
ISBN: 9788581800127
Ano: 2012
Páginas: 208
O detetive paulista Alyrio Cobra é contratado por Joca, assassino e sequestrador envolvido com a máfia dos transportes na cidade de São Paulo, um arquivo vivo que precisa ser apagado. Alyrio inicia a busca de um misterioso dossiê que, segundo Joca, poderá lhe salvar a vida.

Se você fosse um detetive particular e recebesse uma proposta de um assassino confesso, chefão do mundo das drogas você aceitaria? Alyrio enfrenta esse dilema no começo da história, mas tentado pela aventura e pelo dinheiro alto, ele resolve investigar o verdadeiro motivo do sequestro e morte de um empresário no ramo de transportes, Nelson.

Logo no começo da investigação Alyrio percebe que será impossível encontrar alguém que fale alguma coisa a respeito do caso. Todos com exceção de Regina Célia, dizem mal conhecerem Nelson e que lamentavam pela morte do colega.

A mulher de negócios não só resolve contar tudo para Alyrio como afirma que existe um dossiê feito pelo mesmo que derrubaria do poder os políticos corruptos que lucravam com as propinas cobradas dos empresários.

Como se fossem peças de um quebra cabeças, o leitor vai ter que desvendar o enigma e descobrir o real motivo e o verdadeiro assassino de Nelson, afinal quando tudo parece estar resolvido algo te surpreende, dando um gosto diferente à história.

Nota 4.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Danação


Dragões, vampiros, lobisomens, elfos... Que tal um romance histórico misturado a uma boa dose de folclore brasileiro?

Danação é um livro ambientado na Taubaté de 1700. Um misto de romance histórico com fantasia, tem nosso folclore como pano de fundo e conta a jornada de Diogo, senhor de engenho falido que oferece a alma ao Diabo em troca da "maior mina de ouro das Geraes". O pacto custa a vida de seu único filho, e ele passa a vagar pelo interior da colônia até chegar à vila de Taubaté, à época um povoado com três mil habitantes. Lá, se depara com um misterioso ser que já havia matado seis colonos. Uma conhecida criatura do nosso imaginário.

Danação é um livro com um pé na história colonial e outro na nossa rica mitologia. Lá estão costumes que hoje soariam intrigantes: as precárias condições de saúde, a culinária singular, o fanatismo religioso, as crendices primitivas, a crueza dos deslocamentos sertão adentro, que fazem do romance uma verdadeira viagem no tempo. Junte-se a senhores de engenho, benzedeiros, escravos, soldados, padres, colonos, estrangeiros, emissários de El Rei e tropeiros em uma terra de incerteza e provação.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Ajudem o Pedrinho

Pessoal....Atenção.....Esta campanha é realmente para ajudar nosso Pedro Henrique Do Vale Brito. Como existe uma possibilidade de cura / transplante nos Estados Unidos, duas amigas da Ruth Do Vale (mãe do Pedro) começaram esta campanha para que se decidirem viajar tenham o dinheiro e não precisem ainda mais esperar pela arrecadação. Contribua com qualquer valor, pois, todos unidos teremos uma boa quantia.


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Ajudem o pedrinho!


Hoje estou fazendo algo diferente aqui no blog, provavelmente a maioria vai torcer o nariz e nem terminar de ler a postagem, mas senti que era meu dever como mãe, como ser humano tratar desse assunto, afinal meu blog é uma ferramenta de divulgação e isso precisa ser informado não só por causa do Pedrinho e sim porque há milhares (se não milhões) de pessoas no mundo precisando de um doador de medula óssea.
Não tenho nada com isso. Não conheço ninguém com essa doença.
Não é bem assim gente. Eu não conheço pessoas próximas com leucemia, mas quando conheci o caso do Pedrinho (que estudou no colégio do Arthur) me coloquei no lugar da mãe dele e entrei em pânico. Até dezembro o menino era saudável e nunca os pais imaginaram que de uma hora para outra ele precisaria de um transplante. Pode acontecer com qualquer um de nós.
Até queria doar, mas tenho medo. Deve doer.
Não gente não dói, hoje o procedimento para doação é simples, você toma anestesia e não sente nada. E se doesse? O que é uma dor que duraria uns minutos em troca de uma vida inteira? Eu não sou tolerante a dor, mas fiz o teste mesmo assim não serviu para ele, mas poderá servir para outra pessoa.
As maiorias das pessoas compartilham tanta bobeira no facebook que às vezes tenho vontade de deletar meu perfil, mas quando vejo uma campanha para ajudar a encontrar um ser humano, para ajudar com organizações para proteção a natureza e animais e mais que isso para ajudar a encontrar um doador para uma criança linda e com muita coisa para viver me sensibilizo e continuo ali divulgando aquilo que eu acredito: solidariedade.
Sou inocente por acreditar nisso? Posso ser, mas está no meu ser acreditar que há pessoas solidárias, há pessoas capazes de pensar muito além do seu mundinho egoísta e ver que no próximo existe um pouco de nós, afinal somos feitos da mesma matéria e mesmo sendo de classes, raças e culturas diferentes, queremos a mesma coisa: viver.
Por isso peço a vocês que se conscientizem de que ele e outras pessoas precisam de sua solidariedade, de sua compaixão de um pedacinho de vocês para continuar vivendo. Deixemos o medo, a ignorância de lado e vamos fazer o teste para tentar salvar a vida de pessoas que precisam de nós.
Termino esse post com lágrimas nos olhos, mas o coração cheio de esperança de que o Pedrinho irá vencer essa batalha. Tenho muita Fé que verei os pais dele anunciando que o filho está curado, graças a um doador consciente e solidário.
Obrigada, por chegarem até aqui.



Follow by Email